Contos de romance

Posts sobre Romance escritos por Bela. Dizem que a vida é feita de idas e vindas. Eu sempre acreditei nisso. Sempre soube que algumas pessoas devem partir para que outra possam chegar, mas eu nunca imaginei que em uma dessas vindas nos encontraríamos de novo, com um olhar mais maduro e ambos com mais experiências e histórias para contar. Contos são narrativas que baseiam-se em acontecimentos ou histórias de fantasia. De qualquer modo, é sempre bom ler algo que levanta nosso espírito! Trouxemos para você contos cheios de romance e paixão. Você pode aproveitar e mandar para aquele crush e demonstrar todo seu amor! 5/jun/2014 - Conto de Amor, Contos Românticos, GIFS Românticos, Mensagem Romântica, Pensamentos Românticos, romance, Romance antigo, Amor, Paixão, Filmes ... Categoria: Contos de Romance. A lápide A lápide. 02/08/2017 admin. Você vem arrastando os pés na relva, sem muita vontade, sem muita coragem. Mas precisa desse ritual – seu coração o exige – muito mais do que você é capaz de admitir. Posso vê-lo de meu escaninho no arvoredo. Disfarçada estou nas silhuetas de negros ciprestes. Ela era mais um soneto de alento em dias confusos, ele um romance de despedida sem sequer dedicatória. Entretanto, porém como nada é como de fato deveria ser, a bituca se apagou e a fumaça emanou por entre a multidão de desconhecidos. ... 9 contos de fadas que acabarão com a sua infância. Saiba a verdade por trás dos contos de fadas ... Sejam todos bem vindo ao Blog Contos Românticos, aqui você poderá postar contos românticos que aconteceram com você ou com alguém conhecido, queremos com isso demonstrar que existe romance na vida real e que não é somente um privilegio dos livrinhos tão adoráveis que lemos, conte aqui a historia do seu namoro, noivado, casamento, aventura. Contos de romance. Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares da categoria contos de romance. Escaldante sedução. Anacduarte . Chegada a Tróia, numa conferência de partilha de informação sobre investigação estratégica. Lista com todos os textos da categoria contos de romance em Luso-Poemas, o seu site de poemas, frases e mensagens.

vivendo um paraíso e ao mesmo tempo um inferno

2020.09.04 21:06 Level-Account-7474 vivendo um paraíso e ao mesmo tempo um inferno

Antes de falar toda o meu "romance", eu deixo claro que dependo dos meus pais, não tenho dinheiro para nada, e também a história provavelmente vai ser clichê para vocês e longa, "sad but true".
Por volta de maio, eu começei a conversar com uma menina que é da umbanda, o terreiro dela é aqui perto da minha casa e sempre observava ela passar na frente da minha casa e achava/acho ela bonita, e pela primeira vez na vida tomei coragem e inicie uma conversar com uma menina(claro, no começo era online kkk pelo ins, mais ainda vale, pq não tinha coragem para nada), passando um tempo a gente decidiu se encontrar pessoalmente( nesta hora já tinha percebido que ela estava interessada em mim) então convidei ela para vim aqui na minha casa, a gente sentou na porta da rua e conversamos por horas( cerca de duas horas e meia).
Mais foi no dia do nosso primeiro encontro( como amigos ainda) que a minha família começou a infernizar minha vida, eles sabiam quem era é da onde era a menina( pq eles sabem todos os membros do terreiros aqui perto de casa, só para ficar falando mal, odioooooo), quando ela foi embora e eu entrei para dentro de casa e ocorreu uma confucao enorme, eles dizendo que eu estava indo para o caminho de satanás( não posso ir para o caminho de um ser que não existe, sim eu sou ateu, mais ainda não falei sobre meu ateísmo e minha família"cristão"), depôs disso ocorreu mais confucao, afinal, agora estou namorado essa menina, gosto muito dela.
OBS: meus pais só fazem discursos de ódio contra outras práticas espirituais dentro de casa, fora eles são as pessoas mais falsas possíveis.
mais o que mais me deixou triste foi anteontem que a minha namorada disse que estava no hora das nossas famílias se conhecerem, mais o que me deixa triste é saber que eles podem vim aqui( minha casa) e conhecer minha família, mais depôs meus pais vão cair encima eles falando várias barbaridades.
o que eu devo fazer? enrolo minha namorada ou conto toda a verdade?
submitted by Level-Account-7474 to desabafos [link] [comments]


2020.09.04 05:42 SpeedHS11 Edgar Allan Poe - O Gato Preto e Outras Histórias

Edgar Allan Poe - O Gato Preto e Outras Histórias (editora PandorgA) 
https://preview.redd.it/216yppdxq1l51.jpg?width=566&format=pjpg&auto=webp&s=e5378e193d4acd6aab19abf302c57accc2e82527
Este livro contém 4 contos:
- o gato preto (1843)
- Ligeia (1838)
- a queda da Casa de Usher (1839)
- pequena conversa com a múmia (1839)

O Gato Preto (1843) 
''NÃO ESPERO NEM PEÇO que acreditem neste relato estranho, porém simples, que estou prester a escrever. Louco seria se eu o esperasse, em um caso onde meus próprios sentidos rejeitam o que eles mesmos testemunham.''
Faço das palavras de Poe as minhas, o conto começa com Poe falando de sua paixão por animais, e que sempre foi mimado pelos pais em relação à isso, o conto carrega toda uma história por trás, a começar pelo nome Plutão, que é o apelido de Hades (deus dos mortos), a cor preta, a superstição de que gatos pretos seriam bruxas disfarçadas e também a ideia de sete vidas dos gatos, todas essas características se encaixam perfeitamente no enredo do conto.
Com o passar do tempo, Poe foi mudando para uma pessoa pior, graças ao alcoolismo, se tornando mais melancólico, irritável, e indiferente às todos ao seu redor, menos ao gato, porém isso não durou muito tempo e o gato agora também passara a sofrer assim como todos os outros com as atitudes de Poe.
Quando Poe voltava para casa após mais uma noite de puro alcoolismo, percebeu que Plutão evitava-o, percebendo isso tratou de agarrar o gato, porém, o gato ficou assustado (com razão) e acabou dando uma pequena mordida em sua mão, isso despertou uma fúria (como o próprio Poe diz, demoníaca) e ele acaba por arrancar o olho do gato com um canivete que estava em seu bolso.
''de fazer o mal pelo único desejo de fazer o mal'' E foi assim que Poe fez o que ele julgava errado mas fez. Em uma manhã fria ele enforcou e matou o gato, no galho de uma árvore enquanto lágrimas escorriam de seus olhos, segundo as próprias palavras de Poe: ''enforquei-o porque sabia que assim fazendo estava cometendo um pecado - um pecado mortal, que comprometeria então minha alma importal e a colocaria - se tal coisa fosse possível - além do alcance da infinita misericórdia do Deus mais misericordioso e mais terrível.'' A noite do mesmo dia terminou com a casa de Poe em chamas, a cortina de seu quarto pegou fogo e por pouco conseguiram sair todos vivos e a casa acabou completamente destruída.
No dia seguinte ao incêndio, quando Poe visita as ruínas do que sobrou de sua casa, todas as paredes com exceção de uma tinham desabado e justo nessa única parede que não havia sido destruída completamente, estavam as palavras ''estranho!'', ''singular!'' e outras expressões similares, que despertaram a curiosidade de Poe, porém, o que mais o intrigava era o fato de que nessa mesma parede havia a figura de um gato de um gato gigantesco e havia uma corda ao redor do pescoço do anomal, Poe criou uma grande explicação para o ocorrido e se deu por satisfeito, embora dessa forma tenha prontamente satisfeito a razão, ele não poderia dizer o mesmo quanto à sua consciência.
Sem mais nem menos, surge um gato preto extremamente parecido com Plutão, no meio da noite em mais um dia de bebidas de Poe, os dois acabam gostando um do outro e assim, o gato segue para a casa de Poe e logo se familiariza com a casa e a esposa. Aos poucos por alguma razão Poe começou a sentir uma aversão ao gato, o fato do animal não ter um olho e a marca no peito do gato que antes era indefinida, mas agora essa marca branca passa a ser a imagem do enforcamento, contribuiram para essa aversão.
Certo dia enquanto ia para o seu porão, o gato mais uma vez o seguia e acompanhava-o, desta vez o gato acompanhava Poe enquanto descia as escadas e quando o fazendo cair, isso despertou uma fúria demoníaca em Poe, que na mesma hora pegou seu machado, quando estava pronto para matar o animal sua mulher interviu, desviando o golpe, sem pensar Poe enfiou o machado na cabeça de sua mulher, ela caiu morta sem sequer gemer.
Poe agora precisava se livrar do corpo, pensou e chegou na conclusão que deveria emparedá-la no porão, o que ele fez foi retirar os tijolos de um ponto da parede que havia uma saliência de uma falsa chaminé e fez no final das contas um ótimo trabalho.
O gato obviamente assustado com a situação fugiu e nunca mais voltou, isso despertou uma sensação de alívio em Poe, ele se sentia um homem livre, a sua consciência em relação sua mulher, pertubava- o pouco. No dia seguinte policiais foram até a casa fazer uma última busca e quando já estavam prestes a ir embora, Poe cita o quanto aquele porão fora bem construído e acaba por bater na parede com a bengala que segurava, na qual estava o cadáver de sua mulher do coração.
O eco da batida nem tinha acabado de soar quando uma voz de dentro respondeu com um uivo, como se tivesse vindo do inferno, com isso Poe quase desmaia até a parede do lado oposto, o cadáver ''com a boca vermelha escancarada e o olho solitário de fogo, estava sentada a criatura hedionda cujos ardis tinham me seduzido ao assassinato, e cuja voz delatora havia me condenado à forca. Eu tinha emparedado o monstro dentro da tumba!''
Ligeia (1838) 
O conto começa com Poe lembrando-se de Ligeia, fazendo grandes elogios e lembrando-se apenas que a encontrou pela primeira vez em alguma grande e decadente cidade às margens do Reno. Poe não se lembra do nome de sua família.
''Não existe beleza rara sem que haja algo de estranho em suas proporções''. Poe segue exaltando Ligeia: Alta, porte majestono, a quietude complacente de seu comportamento... A pele rivalizava com o mais puro marfim, a imponente fronte sobressaindo e a delicada proeminência acima de suas têmporas, as brilhantes e negras madeixas, negras como as asas de um corvo, luxuriantes cachos naturais, suas linhas delicadas do nariz, as covinhas, os olhos bem maiores do que o comum, a magnífica curvatura do lábio superior e o aspecto suave e voluptuoso do inferior. Ele se lembra de seus olhos, incríveis e incomuns, largos e luminosos, e sentiu fortes sentimentos ao lembrar de seus olhos, que só sentiu os mesmos sentimentos raramente quando: viu o crescimento de uma videira, numa mariposa, uma borboleta, um fluxo de água corrente...
Poe lembra dos primeiros anos de casamento, em que ele confiava em Ligeia em nível de confiança semelhante à de uma criança, a ser guiada por ela, em um caótico de investigação metafísica em que se achava ocupado durante os primeiros anos de casamento. Enquanto Poe acompanhava de perto a morte de Ligeia na cama, ela demonstra todo a sua paixão e pede a Poe que leia alguns de seus versos, logo após Poe terminar a leitura, Ligeia ergueu-se e teve espasmos, e então, abaixou os braços retornando ao leito de morte e morreu.
Meses depois do ocorrido, Poe, compra uma abadia em um lugar remoto da Inglaterra se casa com Lady Rowena, no primeiro mês de casamento ela temia o violento mau-humor de Poe seu temperadomento, que tanto evitava e amava. No segundo mês de casamento Lady Rowena fica doente e demora para se recuperar até que um segundo e mais violento acesso a acometeu, colocando-a de volta à cama em sofrimento, ela começa a ficar doente de forma mais grave e reccorente, Poe então decide dar uma taça de vinho para recuperá-la, foi aí então que ele ouviu passos leves sobre o carpete próximo a cama, e então quando Rowena estava prestes a bebero cálice, ele viu caindo dentro da taça, três ou quatro grande gotas de um brilhante líquido, porém ele achou que fosse tudo imaginação e não mencionou o fato à ela, algum tempo depois ela morre e seu corpo é preparado para o túmulo.
Com o tempo, Poe percebe que suas bochechas voltam a ficarem vermelhas, durante alguns dias ele escuta alguns sons do cadáver e havia até mesmo uma leve pulsação de seu coração, ela estava viva, porém, sempre indo e voltando da morte, com grandes sinais à prova, mas Poe não se importava e estava cansado das violentas emoções.
De repente, ela ergue-se da cama, cambaleando de olhos fechados avanã para o meio do quarto, Poe se aproxima e toca, fazendo assim cair os tecidos sinistros que a enrolavam, revelando assim seus cabelos negros, mais negros que as asas de um corvo da meia-noite e os grandes olhos, grandes, negros e selvagens de seu perdido amor, Lady Ligeia.
A queda da Casa de Usher (1839) 
Poe percorri de cavalo um caminho escuro, chegando à casa de Usher (sua caraterística principal era parecer excessivamente antiga) ele sente uma sensação de insuportável melancolia invadir seu espírito, ele chega até a sala grande e imponente em que Usher (um dos únicos amigos de infãncia e adolescência de Poe) estava, Usher então se levanta do sofá e o comprimenta calorosamente. Com sua voz que variava rapidamente de um indecisão trêmula até uma forma pesada e lenta de falar, ele contou sobre o objetivo da visita e do consolo que ele esperava sentir com a presença de Poe e abordou a causa de sua doença, disse que era um mal constitucional e familiar para o qual ele já não tinha esoerança de encontrar uma cura.
Ele sofria de um aguçamento mórbido dos sentidos: só suportava as comidas mais insípidas, só podia uisar vestes de certa textura, o cheiro de todas as flores o oprimia, uma mera luz fraca torturava seus olhos e somente alguns sons não lhe inspiravam horror. Poe percebe pouco a pouco por meio de alusões entrecortadas e ambíguas, ele estava dominado por certas impressões supersticiosas com relação ao imóvel onde vivia e de onde, por muitos anos, nunca havia se aventurado a sair, superstições acerca de uma influência cuja força hipotética foi descrita em termos muito obscuros para ser relatada aqui e a aproximação evidente e iminente da morte de sua querida e amada irmã, lady Madeline.
Lady Madeline tinha uma apatia, uma devastação física lenta e gradual, e frequentes afecções de um caráter parcialmente cataléptico. Até então, lutara com firmeza contra a doença e não se entregara à cama, mas, ao final da noite, ela sucumbiu e Poe nunca mais a veria a mesma dama pelo menos enquanto vivesse.
Usher declarou que tinha a intenção de preservar o corpo da irmã por quinze dias (antes de finalmente sepultá-la), em uma das várias câmara que existiam dentro dos muro principais da casa, a razão era o caráter incomum da morte da falecida e as inevitáveis perguntas inoportunas e impulsivas por parte dos médicos, Poe ajuda pessoalmente nos preparativos do sepultamento temporário, levam ao à uma câmara que estivera fechada por muito tempo e lá é revelado que Usher e sua irmã eram gêmeos.
Uma noite tempestuosa, ma terrivelmente bela invadiu o quarto quase erguendo-os do chão, um vapor agitado subia pela casa e a encobria como uma mortalha, Poe logo retirou Usher de perto da janelo e colocou-o na poltrona, lendo um de seus romances favoritos: ''O Louco Triste'' de Sir Launcelot Canning.
Ao terminar a leitura, em que um escuto havia caído sobre um piso de prata, Poe, como escuta como se relamente um escudo de bronze tivesse caído com todo seu peso sobre um pavimento de prata. Quando Usher é questionado por Poe sobre o barulho, Usher: ''Sim, eu ouço e tenho ouvido. Por muito... muito... muito tempo... por muitos minutos, muitas horas, muitdos dias ouvi... Nós a colocamos viva no túmulo! INSENSATO! ESTOU LHE DIZENDO QUE ELA AGORA ESTÁ DO OUTRO LADO DA PORTA!''
Como em um passe de mágica, a porta para que Usher apotava abriu lentamente, e lá estava a figura alta e amortalhada de lady Madeline Usher. Então, com um lamento baixo, desabou pesadamente sobre o corpo do irmão, e em sua agonia final, arrastou-o para o chão, morto, vítima dos terrores que havia previsto.
Poe então foge horrorizado daquele quarto e daquela mansão, de repente, uma luz forte surgiu no caminho, era a luz da lua cheia, um vermelho escalarte que brilhava através daquela rachadura na mansão e que se estendia até do telhado até o chão. Dali veio um sopro forte do redemoinho, as grandes paredes desabavam enquanto se ouvia uma demorada e tumultuada gritaria, como se o ruído viesse de mil aguaceiros, e o lago profundo e gélico aos seus pés se fecharam, de forma sombria e silenciosa, sobre os destroços da ''Casa de Usher''.
Pequena Conversa Com a Múmia (1839) 
O simpósio (festa após um banquete) da noite anterior tinha sido demais para Poe, com uma dor de cabeça miserável e caindo de sono preferiu fazer uma última refeição antes de dormir (Welsh rabbit). Porém, ainda não completara o terceiro ronco quando a camapinha começa a tocar furiosiamente, era um bilhete do doutor Pononner, que dizia que obteve o consentimento dos direitos do museu da cidade para examinar uma Múmia, em um salto se levantou da cama rumo à casa do doutor.
Chegando na casa do doutor ele encontrara um grupo ansioso e a Múmia, encontrada às margens do Nilo, estendida sobre a mesa de jantar, acâmara onde fora encontrada a Múmia era rica em ilustrações, isso indicava uma vasta riqueza do morto. Encontraram o corpo em ótimo estado de preservação, sem nenhum odor perceptível, cor avermelhada, olhos removidos e substituídos por olhos de vidro, cabelos e dentes em boas condições. Quando perceberam que já passava de duas horas da manhã, decidiram adiar a dissecação até a noite seguinte, porém, alguém surgiu com a ideia de fazer um experimento com a pilha de Volta (aplicar eletricidade).
Prestes a ir embora, Poe se depara com as pálpebras da Múmia coberta pelas pálpebras, depois do choque inicial decidiram prosseguir com um novo experimento, e, durante o mesmo, a Múmia desfere um pontapé no doutor Ponnonner que foi lançado à rua janela abaixo. Depois de iniciarem o teste elétrico a Múmia espirrou, sentou e se dirigiu aos senhores Gliddon e Buckingham com um egípcio perfeito um discurso, neste discurso ele reclamou de ser despido num dia frio e da forma como fora tratado.
Gliddon fez um discurso em que citava principalment os enormes benefícios que a ciência podera obter com o desenrolamento e a evisceração das múmias e aproveitou o momento para se desculpar por qualquer incômodo que pudéssemos ter causado à múmia Allamistakeo, reparando que ela estava se tremendo de frio, o doutor correu e logo voltou com uma casaca preta, um par de calças xadrez azul-celeste, uma camisa xadrezinha cor de rosa, um colete de brocado com abas, um sobretudo branco, uma bengala de passeio, um chapéu sem aba, um par de botas de verniz, um par de luvas de pelica cor de palha, um monóculo, um par de suíças e uma gravata cascata.
Seguiu-se uma série de perguntas e de cálculos pelos quais se tornou evidente que a antiguidade da múmia tinha sido muito mal avaliada, haviam passado cinco mil e cinquenta anos e alguns meses desde que ela tinha sido despachada. Logo depois a múmia explica o princípio fundamental do embalsamento e que gozava de ter o privilégio de ter nas veias sangue do Escaravelho, pois só assim teria o direito em sua época de ser embalsamado vivo. O Escaravelho era o brasão, as ''armas'' de uma família muito nobre e muito distinta, pois era comum se retirar o cérebro e as vísceras do cadáver antes de embalsamá'lo, só o clá dos Escaravelhos não seguia essa regra.
''Veja nossa arquitetura!'' gritava Ponnonner. ''A Fonte Bowling-Green!Ou, se esse espetáculo e imponente demais, contemple por um instante o Capitólio, em Washington, D. C.! E o bom doutorzinho chegou até a detalhar de forma minuciosa as proporções do edifício a que se referia. Explicou que o pórtico era adornado com não menos que vinte e quatro colunas, cada uma com um metro e meio de diâmetro e colocadas a três metros de distância umas das outras.
O conde respondeu que lamentava não se lembrar das dimensões precisas de nenhum dos edifícios principais da cidade de Aznac, cuja fundação se perdia na noite dos séculos, mas cujas ruínas permaneciam ainda de pé, se lembrou de ter visto um palácio secundário que tinha cento e quarenta e quatro colunas, com onze metros de circunferência e sete metros de distância entre cada uma delas, o acessoa esse pórtiro, vindo do Nilo, era feito através de uma avenida de três quilômetros, composta por esfinges, estátuas e obeliscos de seis, dezoito e trinta metros de altura. O palácio em si tinha, só em uma das direções três quilômetros de comprimento e deveria ter, ao todo, uns onze de circuito. As paredes eram ricamente decoradas, por dentro e por fora, com pinturas hieroglíficas. Ele não pretendia afirmar que até cinquenta ou sessenta dos Capitólios do doutor poderiam ter sido construídos dentro dessas paredes, mas que tinmha absoluta certeza de que duas ou três centenas deles se espremeriam ali com alguma dificuldade.
Nisso se seguiu a noite com os cavalheiros fazendo perguntas complexas ao egípcio, que respondia todas surpreendentemente bem, os cavalheiros não sabiam mais que perguntas fazerem, pois, a cada pergunta que faziam, o egípcio respondia todas e simplesmente os calava com sua superioridade egípcia em basicamente todas as áreas mencionadas pelos cavalheiros ali presente.
Porém, quando estavam prestes a serem derrotados intelectualmente, Ponnonner perguntou se as pessoas no Egito realmente pretendiam rivalizar com as pessoas modernas, na importantíssima questão do vestuário. O conde então olhou para os suspensórios de suas calças e, segurando a ponta de seu fraque, segurou-os perto dos olhos por alguns minutos. Deixando-os cair finalmente, sua boca escancarou-se gradualmente de uma orelha à outra, mas não me lembro se respondeu alguma coisa.
O egípcio baixou a cabeça. Nunca houve um triunfo tão completo, nunca antes a derrota foi assumida com tanto despeito, Poe pega seu chapéu e parte para casa. Chegou em casa depois das quatro horas da manhã e foi-se deitar, agora eram dez horas da manhã com Poe escrevendo estas lembranças, ansioso para saber quem será o Presidente em 2045, iria procurar o doutor Ponnonner e pedir para que seja embalsamado por alguns séculos.
submitted by SpeedHS11 to Livros [link] [comments]


2020.09.03 20:16 OrbitingMoon Minha visão de mundo sempre foi meio distorcida

Quando moleque eu era meio bagunceiro, fazia muita merda, às vezes puxava briga, mas não sabia me defender depois, mas mesmo assim eu tinha alguns amigos. Quando eu entrei na quarta série eu tinha engordado um pouco, e na minha sala tinha um repetente. Nossa relação inicialmente foi bem normal, mas eventualmente começamos a nos dar mal e ele começou a me bullynar. Da quarta até a oitava série, quase que todo dia, eu tinha que lidar com isso (escola pequena, só tinha uma turma por série), eu era muito triste na época; matava aula sempre que podia, porque lá tudo que me esperava era zoação e eventuais brigas (que eu sempre perdia). Eventualmente todo mundo cresceu e parou de fazer isso, e o bullying acabou.
Mas não foram só flores depois daquilo, é óbvio que aquilo fudeu comigo, durante aqueles anos eu tentei suicídio no mínimo umas duas vezes, e toda noite antes de dormir eu desejava que ou eu ou ele morressemos, porque eu não aguentava mais. Quando acabou, eu tinha uns 14 anos, estava no nono ano, nunca havia tido uma amiga mulher, nunca dormi na casa de um amigo, não sabia fazer amizades, não sabia sorrir, era tímido, não sabia conversar, não tinha nenhum amigo de fora da escola, e mesmo dentro dela, só tinha dois ou três amigos de infância. Eu basicamente ainda era tão socialmente desenvolvido quanto uma criança de 10 anos (talvez até menos).
Enfim, eu não ligava pra isso, eu podia fazer amizades virtuais, certo? Sim, e eu fiz alguns bons amigos, mas eventualmente eu perdia todos eles porque eu não tinha escrúpulos e falava demais, coisas pessoais, íntimas, enfim. Eu não sabia manter amizades, eu era "estranho" demais pra isso. Mas um cara, ainda assim, me suportava, ele era bastante compreensivo e me aturava, incentivava-me a estudar, conversar com meninas ou outras pessoas, mas eu não levava ele tão a sério, até que eu entrei no ensino médio. De repente eu percebi o quão inútil eu era, e como eu não sabia de nada que deveria ser senso comum (eu, com 15 anos, não sabia nem o que significava ficar com uma menina).
Eu pedi muitos e muitos conselhos para aquele meu amigo, e ele me ajudou bastante, eu fiz minha primeira amiga mulher graças a ele! Mas eu ainda era muito estranho, então com o tempo perdi tanto a amizade dele quanto a dela. Eu era bastante triste na época, tinha muitas inseguranças, mas ainda assim me esforçava o máximo que podia para fazer amigos. Foi, também, nessa época que eu fiz minha primeira melhor amiga, eu amava ela demais, uma vez brigamos e ficamos alguns meses afastados, fiquei deprimidíssimo por um tempo, considerei suicídio porque não tinha mais ninguém. Mas uma hora eu acabei melhorando e me tornei capaz de ser mais normal, conseguia conversar numa boa, já tinha alguns amigos, fazia novas amizades e tudo mais.
Ainda assim eu ainda tinha uma visão bastante distorcida do gênero feminino, ainda não tinha experiência nenhuma com nada remotamente sexual, inclusive, participava de fóruns de incels, acreditava fielmente na blackpill (tua aparência determina teu sucesso na vida), e mais um monte de besteiras que eu lia nos fóruns. Um dia, porém, uma menina chegou em mim (eu nunca havia visto ela na vida), e pediu pra ficar comigo, eu logicamente aceitei, estava desesperado por uma companheira e por ter essas experiências "normais" que todo jovem tinha. Ela me deu seu número de telefone e ficamos conversando pelas próximas semanas, e que semanas...
Aquela mulher acabou de verdade comigo, só reforçou as visões que eu tinha do gênero feminino que eu via na internet. Ela foi a pior mulher que eu poderia ter encontrado para ser com quem eu teria minhas primeiras experiências envolvendo pegação e afins. Ela era uma pessoa horrível, dizia ter nojo de velhos, falava muita merda pra mim, era burra, mas muito muito muito burra, já tinha 20 anos e não tinha nem terminado o fundamental. Ainda assim, eu não tinha mais ninguém na época, e embora eu não gostasse dela, ainda assim queria experienciar o que era a pegação, então quando começamos a trocar nudes, ignorando como ela abaixou minha autoestima na época porque eu não era superdotado como ela queria, eu sentia uma sensação de poder porque ela me mandava fotos dela sempre que eu queria, eu atribuia isso à minha aparência (sou bonitinho, e segundo os fóruns, era só disso que alguém precisa para ter sucesso na vida).
Eventualmente, meio enojado com ela, decidi que não queria mais ela na minha vida, e cortei contato, voltando a estar sozinho. O engraçado é que aquilo me "traumatizou", e eu me recusei a ficar com alguém depois daquilo, inclusive uma menina que era minha vizinha (pensando agora, se ela tivesse sido a primeira pessoa com quem eu fiquei, eu nunca teria passado por esse monte de merda). Eventualmente eu fiz alguns amigos (homens) e fui pra algumas festinhas pela primeira vez, foi bem bacana, passei mal na primeira vez bêbado), mas eu ainda não queria me envolver com mulheres por medo daquilo se repetir.
Com o tempo eu deixei a visão incel que eu tinha do mundo e da mulheres de lado, mas ainda assim eu tinha uma visão distorcida da vida real. Esse ano eu conheci uma menina pela internet, e ela vem me ajudando bastante com isso, ela é bem bacana, e vem me ajudando a superar o medo que eu tinha de tudo isso. Claro, ela, de certa forma, me decepcionou bastante, foi bem deprimente quando eu percebi que eu não vivo num filme de amor adolescente, sabe? Eu acreditava que encontraria uma menina inexperiente como eu, então namoraríamos e aprenderíamos tudo juntos, seríamos felizes para sempre! Embora ela more perto de mim, ainda é longinho então nunca nos vimos pessoalmente, então embora eu ainda seja bobão quando o assunto é pegação, pelo menos agora, graças a ela, estou disposto a mudar.
Inicialmente eu tinha um crushzinho por ela, porque ela parecia ser o modelo de menina perfeitinha que eu tanto desejava, mas ela é humana, assim como eu, tem defeitos, temos diferenças, e eu fico feliz por ter percebido isso. Eu, ainda não entendo direito como eu cheguei nessa conclusão, mas eu tinha a visão de que toda menina busca um romance enquanto todo cara só quer pegação, e foi um puta choque de realidade quando eu percebi que não era assim, até a menina que era super babaca comigo queria um namorado, ela não quer????
Finalizando, peço desculpas se a coesão do texto tenha ficado ruim (sempre foi meu ponto fraco na escrita de textos) ou se eu omiti algum detalhe importante sem querer. Foi um tempão, fiquei muito tempo vivendo de ilusão, achando que o mundo fosse como um conto de fadas, mas é bom poder saber que agora, depois de tudo isso, eu já não sou o moleque esquisito que eu era há alguns anos. Obrigado se você leu até aqui :)
submitted by OrbitingMoon to desabafos [link] [comments]


2020.07.27 07:00 Lfzinho Sugestões de leitura?

Eu gosto MUITO dos romances e contos do Luís Fernando Veríssimo, mas ultimamente eu só tenho lido eles. Acho que é bom variar um pouco, do mesmo jeito que eu evito ouvir minha música favorita demais pra eu não "enjoar" muito rápido. Alguém me recomenda alguma coisa que seja parecida, mas diferente?
Além do Veríssimo, eu gosto demais de Machado e Clarice Lispector, mas quem não gosta tbm
submitted by Lfzinho to Livros [link] [comments]


2020.07.25 04:02 WilldoStrangerThings Quis ver filme pron na sala e olha no que deu

Olá Luba, Luna, Luno, editores, convidado que nunca tem e turma q estás a ver! Lá vai minha história pra vcs!!
Eu estava no 2° ou 3° ano do fundamental, ou seja, tinha entre 7 ou 8 anos por aí eu acho. Num belo dia, a professora queria passar um filme e perguntou a sala que gênero a gente gostava. Daí então, a classe gritavam tipo "comédia", "romance", "ação, e etc. Eu na época havia ouvido falar num gênero de filme na qual eu não conhecia mas queria saber o q era kkk então eu apenas gritei "PRON, PRON, PRON".(acho q vc entendeu o q era) Nisso, um colega lá que era 3 anos mais velho (sim, era repetente) entendeu o que eu disse, chegou na professora e falou "professora, o Will quer ver filme pron", aí a professora lá da frente falou " Will, se quiser ver esse tipo de filme vai ver na sua casa". Eu MT inocente fiquei sem entender nd. Depois de mts anos eu lembrei dessa história e hoje racho o bico disso e tbm nunca deixei de seguir o conselho dessa professora kkkk
Enfim, essa foi a primeira vez q conto isso pra alguém entt espero que tenham gostado!!
Bjs Luba♡♡
submitted by WilldoStrangerThings to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.25 03:26 marvel_teamo O crusch/bff tóxico

Oiii luba, editores e turma Hoje vou contar a história do meu ex bff pq ex crusch tenho 1 todo dia ksks Conheci ele ano passado, ele sentava atrás de mim, eu odiava ele pq ele me enchia a minha paciência (olha que eu quase não tenho) o tempo todo mas como eu tinha 💩 na cabeça comecei a gostar dele, viramos "amigos" esse " pra ele pq ele gostava mais do meu cachorro do que de mim, e dizia que não gostava de mim então... Ele mudou de turno (pra manhã) e lá ele era o popular com isso ele virou um babaca comigo pq ele dizia coisas horríveis de mim pô povo da manhã e eu ficava sabendo pela minha informante, e quando eu perguntava pra ele, ele dizia " que não né amiga, vc sabe que eu te adoro, e como foi pensar isso de mim vc é idiota só pode né burra kkk" bem assim mas o pior é que eu acreditava, quando a Quarentena começou ele se "declarou" pra mim sabe aquele jeito mo fofinho aí eu amei quando for de vdd vou amar mais ainda, ok ele me pediu eu em namoro eu disse sim pq eu gostava dele e roulou um romance que nem nos filmes bah, bah e bah, aí que começa o crime, o cara vem e me fala "oque vc faria aqui em casa na minha cama 😏" eu óbvio que respondi "hum nossa nós viramos um filme né ksks" aí ele me diz uma dessas " a eu tava pensando em outra coisa" a lubinha já ia ligar pra mãe dele, e liguei e quem atendeu foi o irmão dele eu disse que tava acontecendo aí ele me diz que "aí é que eu não sei oque fazer sabe" ( ele é autista) então achei normal pá, fui voltar a falar com muleque, eu disse que não tava correto e tals eu bem nervosa né, blz aí ele me manda um áudio dizendo "É TROLAGEM AAAA" mds e era a voz do irmão do pia só que ele tinha mandado áudio antes e era a voz do meu ex bff aaaaaaa.meu querido. Briguei com os caras e tals e o irmão disse a mais eu sou deficiente a mas eu mandei um belo foda-se ( eu não sei se foi injusto com o cara mais enfim) depois descobri que quem tava me mandando as mensagens era o autista e quem mandava os áudios era o ex bff eu bloqueie e depois recebi uma mensagem do celular da mãe dos pias dizendo " não fica triste não, mas agora eu descobri que vc é uma p#[email protected]" mds ksks eu bloqueie os 2, chorei que até "desmaiei" e denunciei o contato pq o autista tinha 20 anos então era abuso de menor Aí minha miga me disse que talvez ele se arrependeu do que fez e queira voltar amizade, eu acreditei de Novo e desbloquei ele, e ele me diz coisas piores que antes aaaaaaaaaaaaaaa ódiooooo Mas enfim no final de toda desgraça eu estou com bipolaridade e ansiedade na minha opinião melhor do que um bfff mas bjs lubinha te amo e se vc quiser eu conto sobre o meu professor de mat que faz buling junto com a minha inimiga mortal/crush garota sim luba eu tenho merda na cabeça e só me apaixono por merda tirando vc e o Jean kssk bjs e byeee
submitted by marvel_teamo to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.18 08:30 rafaspbarbie A AMANTE.

Oi genty, povo tudo vocês, Lubisco, gatitas, editores, turma, galero, convidado não por que né QUARENTENA, mds to nervouser. Essa história é a história de como eu virei a amante de um cara. Como é uma história anônima, vou mudar os nomes tudo. Se preparem pois ela é looooonga
Bom, em meados de 2016, tinha voltado a estudar na Tijolinhos (nome fictício de uma escola particular em Brotas-SP) depois de repetir de ano e tal. Lá conheci a Joséfa, que virou minha melhor amiga pra vida (ou não, né?), e desse rolê todo boa parte foi culpa dela (TÔ DE OLHO JOSÉFA). Um lindo dia na escola, tava eu lá, com vontade de fazer pipi, ou só me olhar no espelho pra ver o quão bonitona eu tava, e quando tava descendo eu vi ELE, Pablo, na sua escadinha de técnico de Wi-Fi, skksksksksks ele era lindimais (bom, eu achava né) e daí eu passei por ele, trocamos olhares bem calientes, mas ficou por isso.
Logo de noite ele me adicionou no SNAP, sim, snapchat. E trocamos muita ideia, ele era muito inteligente e a gente combinava em muitos aspectos, tava xonadinha. Depois de uns dias conversando com ele, o mesmo apareceu na escola de novo, E DAÍ QUE COMEÇA A MERDA. Estava sentada com Joséfa e comentei:
Na hora eu mandei mensagem pra ele falando um monte de coisa, que era um absurdo ele namorar e falar comigo daquela forma, insinuando coisas, falando pra gente ficar e tal e que eu seria só amiga dele a partir daquilo, AHAM.
Daí entra a parte importante da Joséfa na história. A doida nada mais nada menos me chamou pra fazer vôlei com ela, e eu fui, tinha dois horários, o das kids e dos adultos, íamos nos dois. Fomos no primeiro horário, e partimos pro segundo logo em seguida. Então tava eu lá, linda e plena mexendo no celular e daí a anta da Joséfa começa a dar risada olhando pra longe, eis que me vem à imagem de quem? PABLO. Ela já sabia que ele fazia vôlei, acho que ela queria ver o circo pegar fogo, MESMO. Ele me cumprimentou todo sem graça, mas sempre trocando olhares comigo do tipo "te quero" e eu me segurando pra não pular nele ali mesmo. A gente continuou conversando normalmente, mas havia um flerte sim, mesmo que muito inocente.
Mais pra frente, decidi chamar ele pra conversar, falar pra ele que eu estava gostando dele de verdade, combinamos de conversar depois do vôlei e ele me daria uma carona até a casa dele. A conversa foi basicamente os dois se olhando na maior vontade, eu falando que gosto dele, ele retribuindo, mas também falei que não faria nada em respeito a namorada, AHAM². Durante a conversa teve troca de carícias, muitos abraços, carinhos e olhos nos olhos. Quando íamos pro estacionamento pegar a moto dele, ele me levou para um canto escuro e tentou me beijar, mas dei um abraço porquê não tava me dando por vencida. Quando subimos na moto, ele me disse que ia passar na casa dele pra pegar o carro pois seria mais confortável pros dois (o que ia ser mais confortável hein, Sr. Pablo?!), mas que não era pra me preocupar pois não teria ninguém em casa... MAS TINHA! A família toda dele tava lá, mãe, padrasto, irmãos.. entrei lá com a maior vergonha, ainda tive que ouvir do irmão "quem é essa menina estranha?" Fui pro QUARTO dele, sentei lá na cama e fiquei um tempo ali absorvendo tudo, enquanto ouvia ele falando com a mãe sobre mim, "apenas uma amiga"... sei (foi exatamente o que a mãe dele disse, não tínhamos muita credibilidade). Fomos pra minha casa e ele tentou me beijar de novo, mas não rolou, ainda achava que não daria o gostinho pra ele.
Continuamos conversando e tendo uma relação bem inocente, e era muito bom, confesso. A gente ainda ia no vôlei, ele me dava caronas, era bem discreto e bom, como aqueles romances dos anos 50 que não havia nem beijo, o sentimento se mostrava em outras demonstrações, no carinho, no toque, nas conversas, nos olhares e era bem assim, me vendo por fora da cena, veria uma garota com cabelos aos ventos sorrindo na garupa de uma moto abraçada em um cara que a fizesse sentir o amor, o vento, borboletas no estômago uma primeira vez.
Eu, Joséfa e Pablo descobrimos que teria uma chuva de meteoros na madrugada de quarta pra quinta, nos animamos muito pra ir, mas no fim iria só eu e ele... era o que eu achava, né? (Só pra constar, não havíamos beijado ainda.) Bom, ele me buscou em casa, fomos pra casa dele buscar cobertores e nisso ele me deu uma camiseta (que eu tenho ate hoje) de unicórnio. Com isso ele me disse que umas pessoas iam junto, fiquei meio assim, mas se não tinha problema pra ele, por que teria pra mim? Só que essas pessoas eram o que? A FAMÍLIA DELE. Primos, tios, tia avó (que aliás, gostou muito de mim) muitos deles achavam que eu era a namorada dele mesmo, pois estávamos muito próximos já. Durante a chuva eu só conseguia olhar pra ele, muitas das vezes ele me fazia olhar pras estrelas (não é atoa que eu o chamo de "Sr. das estrelas"), esperando algum meteoro cair, mas eu não vi nenhum. Enquanto estávamos lá, com a família dele, a gente se acariciava, ele me dava selinhos e eu juro que podia ser só isso pro resto dos meus dias com ele, pra mim estava perfeito. Fomos embora, levamos um dos tios dele pra casa, nisso ele me pergunta se eu queria ir embora já, obviamente disse que não.
Fomos para uma parte onde dava pra olhar bem as estrelas, mas naquele dia eu tava cansada de olhar pra elas. Nós paramos o carro e, naquele momento tudo parecia em câmera lenta, de olhar um para o outro, como tirar o cinto e até na hora do (finalmente) beijo. Sim, naquele momento eu virei A Amante. O beijo foi incrível, tudo se encaixou, foi o melhor beijo da minha vida até hoje, tínhamos química, minha pele se arrepiava só dele me tocar, era tudo como um conto de fadas, só que sem a parte do príncipe encantado.
Eu vivia com ele, vivia na casa dele, assistimos vários filmes, passamos por lugares incríveis, daqueles que faziam a gente suspirar e não querer parar de olhar. Cada vez mais eu me apaixonava, ele me fez sentir coisas que eu nunca senti, me fez ver coisas que eu nunca vi, me fez me maravilhar com as coisas simples, como estrelas. Mas eu sempre ouvia dele que ele sempre era o coitado, de como a Jurema (a tal da namorada) era ruim com ele, das vezes que ela traiu ele, das vezes que ela o tratou mal, mas mal sabia Jurema o que ele fazia também, mal sabia ela o quanto eu me sentia mal por isso. Sempre coloquei na minha cabeça que não tinha motivos para trair, mas que eu me conformei com a situação, achei que, dessa vez, tava tudo bem, até porquê eu tinha ele, né?
Como o tempo, tudo se passava, ele me fazia promessas, me prometia terminar com Jurema, que seríamos felizes, ja estava enjoada de ser rotulada como A Amante, não só por mim, mas por ele, por Joséfa também (que passou vários momentos de vela entre eu e Pablo). Numa dessas fui até na casa da avó dele, joguei truco com sua família, beijei ele na frente deles, (um deles lembra de mim até hoje, fala comigo como se eu fosse a ex oficial dele kkkk). Numa outra saímos com um dos seus amigos, nesse dia descobri que a nossa música era aquela lá, a tal da Cataflor do Tiago Iorc, aquela que toda vez que ouço lembro do dia em que eu ouvi pela primeira vez. Esse tal dia estávamos eu e Pablo em sua casa quando ele recebe uma ligação do seu amigo falando que ele queria vê-lo, Pablo falou que estava com uma "amiga" e esse amigo, o Gerson, disse que tudo bem eu ir junto. Entramos no carro, cumprimentei ele, e logo ligamos o som do carro ouvindo Tiago Iorc num tom bem doce, todos cantando e, no momento que esta começou a tocar, ele segurou a minha mão e disse:
-Ok.
Nisso começa a letra, não era atoa que eu me apaixonei, um cara que disse que me daria todas as flores no mundo mas que nenhuma delas chegava a ter a beleza que eu tinha, que a natureza tentou imitar 'tamanha' beleza mas que falhou, pois não tinha como ter algo tão bonito quanto. Como eu não me apaixonaria? Eu também não sei responder essa.
Logo após um tempo, comecei a cobrar o término dele e ele sempre me dizia que era muito difícil, pois era um relacionamento muito longo (3 anos). Pois bem, um mês depois disso ele terminou, viajou pra cidade dos primos dele, foi em várias festas, beijou várias meninas e depois que voltou, me buscou em casa, fomos pra um dos "nossos" lugares, ele sentou comigo e me contou tudo, das meninas, de quem ele teria ficado, como que ele estava amando ser solteiro e tudo mais. A ficha não tinha caído, ele realmente estava solteiro, não devia mais nada à ex, mas ao mesmo tempo parecia que ele não devia nada à mim também, que o cara que falava aquelas coisas, me fazia sentir aquelas coisas e falava que era apaixonado por mim havia sumido junto com o término dele. E. ISSO. DOEU. MUITO. Ficamos naquele dia, mas eu fiquei extremamente desconfortável, cheguei em casa e chorei por horas, do tipo "será que aquele cara nunca existiu?". Nos afastamos cada vez mais, e cada dia que passava a única oportunidade de ver ele, eu não via.
Teve uma festa, a Semáforo, foram todos meus amigos, me diverti pra caralho, dancei por bosta e por fim, ele estava lá, fiquei com ele várias vezes, fiquei com a Joséfa também (pela primeira vez), demos um beijo triplo, ficamos por maior tempão juntos, até subi no colo dele quando ele tava deitado no sofá kkkk, hoje em dia isso é de boas, mas na época muita gente me julgou. Depois disso nos afastamos de vez.
Umas semanas depois, estava na aula de artes, (na qual a professora era madrasta do Pablo) quando a professora diz:
Olhei pra Joséfa na hora e fiquei muda, aquilo partiu mais ainda meu coraçãozinho. Mas o que não era pra ser, não ia ser, não é?
Bom, gente, essa foi a minha história. O Pablo continua com a Múmia, mas não adianta ter uma aliança no dedo DE NOVO, e ainda olhar pra mim com a mesma cara de apaixonado de antes, vir me seguir nas redes e ainda dar em cima de mim, TÁ PABLO??? VÊ SE APRENDE A RESPEITAR A SUA MULHER, BEIJOS.
Um beijo no core de vocês, espero que tenham gostado, xau.
submitted by rafaspbarbie to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.10 14:56 WilldoStrangerThings O PEDIDO INESPERADO

Olá Luba, Luna, Luno, editores, convidado que nunca tem e turma q estás a ver! Lá vai minha história pra vcs!!
Eu estava no 2° ou 3° ano do fundamental, ou seja, tinha entre 7 ou 8 anos por aí eu acho. Num belo dia, a professora queria passar um filme e perguntou a sala que gênero a gente gostava. Daí então, a classe gritavam tipo "comédia", "romance", "ação, e etc. Eu na época havia escutado falar sobre um gênero de filme na qual eu não conhecia mas queria saber o q era kkk então eu apenas gritei "PROM, PROM, PROM".(acho q vc entendeu o q era) Nisso, um colega lá que era 3 anos mais velho (sim, era repetente) entendeu o que eu disse, chegou na professora e falou "professora, o Will quer ver filme prom", aí a professora lá da frente falou " Will, se quiser ver esse tipo de filme vai ver na sua casa". Eu MT inocente fiquei sem entender nd. Depois de mts anos eu lembrei dessa história e hoje racho o bico disso e tbm nunca deixei de seguir o conselho dessa professora kkkk
Enfim, essa foi a primeira vez q conto isso pra alguém entt espero que tenham gostado!!
Bjs Luba♡♡
submitted by WilldoStrangerThings to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.07 21:06 PokerLucky84 Quando a verdade acaba com tudo

Ola luba, editores, papelões (vivos ou mortos), turma que esta a ver. [Walkingtext]
O ano é 2012, moro com a minha esposa(na epoca namorada) junto com uma amiga, do qual minha esposa sempre tratou como uma irma.
Esta amiga era tratada por todos a nossa volta como uma pessoa muito responsável, ela é orfã, viveu em um orfanato ate os 15 anos aos 16 "emancipou-se" e foi morar junto com a minha esposa (que como relatei na epoca era minha namorada), naquela epoca ela estava cursando o ultimo ano de direito, ela era uma pessoa comunicativa e nos procederes ate uma pessoa muito legal.
Ela tinha um relacionamento com carls, 2 anos mais velho, nerd, bem sucedido, mas tinha problemas para se socializar, não gostava de festas, preferia passar horas jogando video game, estudando e vendo filmes, o emprego dele sempre o fez ficar longos tempos fora de casa, então nisso, a lars sempre saia com a gente para baladas e afins... ele não se importava, confiava nela.
Então em um certo dia lars conheceu john, um outro amigo meu, que era basicamente um mulherengo, na epoca com apenas 22 anos, ja tinha duas filhas, e adorava se exibir, não dei bola no momento pois achei que lars tinha juizo suficiente para dosar as coisas, pois é estava bem errado.
Neste tempo Lars e john se encontravam muito, quando questionei ela sobre isso, ela disse "ahh é um romance meia boca" perguntei para ela se achava aquilo certo, e ela disse "se carls não quer sair comigo, que arque com as consequências"
Ao passar do tempo decidi ficar neutro, via carls de vez em quando na jogatina da madrugada de Ragnarok online, mas nunca dei um pio sobre o relacionamento, a final pensava que isso era um problema dos dois, e não meu.
no fim daquele ano lars iria se formar, e então que fico sabendo que carls é quem paga todas as despesas da lars, desde moradia e comida, e ate parte da mensalidade da faculdade, e agora, ela estava tentando empurrar um boleto de 9.000 reais da formatura para ele...
conversando com carls ele me relatou que se privava de algumas coisas para poder ajudar lars, inclusive deixou de comprar um apartamento para poder ajudar lars, em quanto lars gastava todo seu dinheiro com john, pagando documentos do carro de john, baladas caras, moteis e ate roupas para ele.
um dia conversando com john (que morava no mesmo bairro que a gente) ele me mostrou no whatsapp que ela iria usar parte da formatura para pagar uma viagem para a praia, e iria levar john e não carls, iria dar um tomé nele, falando que iria ficar na casa de uma amiga que ela tinha, e que eles decidiram que carls iria ser um "banco" para eles, inclusive deu para ver algumas insinuações sexuais nojentas da parte dela sobre calrs no celular....
fiquei digerindo isso, o resto do dia, então fui falar com lars sobre isso, aquela pessoa que se mostrava centrada não existia mais, ou era meramente uma fachada, ela disse que não se importava, e que iria ficar se divertindo com john ate quando lhe fosse conveniente...
Um dia voltando para casa vejo carro de carls, e decido ligar para ele e contar tudo que sabia, das festas,das idas ao motel com john, e aonde lars enfiava o dinheiro dela (Que para ele era um mistério) e todo o ocorrido...
Carls entra em choque desliga o celular e desaparece, aonde família, amigos e eu por ser o causador disso tudo ficamos com o cu na mão, principalmente porque venho a descobrir que na adolescência carls ja teve histórico de problemas emocionais fortes. (vou usar essa terminologia para ficar mais brando).
Nesse meio tempo conto para lars que falei para carls sobre john, ela emputece por completo, quebra metade da casa, no mesmo dia arranjo um frete retiro as minhas coisas e da minha namorada dali.
Fico semanas sem noticias de carls e depois fico sabendo que ele estava em tratamento, porque teve o surto, e foi achado em uma cidade vizinha, visivelmente alterado.
Os dois terminam, lars que tinha ate aquele momento uma vida promissora cai em descrença por todos a sua volta, depois descobrimos que ela estava devendo muito dinheiro para a faculdade, não pagava a mensalidade, tinha toneladas de materias a pagar, e por fim, por não receberia seu diploma.
hoje lars me culpa pela vida miseravel que tem, sem seu banco, não conseguiu terminar seu curso na faculdade (Que é bem conceituada), ela vive em uma outra cidade do outro lado do estado, e vive dizendo a todos que fui um traíra, e que fodi com a vida dela e de carls.
Carls "se recuperou", hoje vive uma vida ate que normal, ele me diz que não tem rancor de mim, mas de longe da para ver que não é a mesma pessoa, um amigo me disse que ele desenvolveu despersonalização... que me parece uma forma mais grave de depressão.

As vezes fico pensando se tivesse ficado calado, e apenas aceitado aquela merda toda, carls não teria sofrido tanto.
Eu me sinto como o babaca nessa historia, por mais que algumas pessoas falem que não....não por ela, mas por carls.
submitted by PokerLucky84 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.24 05:05 saraharend SOU BABACA POR TERMINAR TUDO POR CAUSA DE UMA CONTA DA NETFLIX?

Olá editores, gatas, possível convidado, Luba e turma que está a ver. Deixo minhas saudações aos finados bonecos de papelão e à esplêndida barba que o Luba vai cortar (tomara que não rs). 🖖🏻
No momento em que conto ela ainda está acontecendo... (contei essa história pro Maicon mas ele cagou então venho contar para os meus irmãos turmênicos no purgatório da turma).
Sou uma garota hétero cis branca de 16 anos, moro no RS e faço CrossFit, começa por aí.
Eu estava em uma bela noite reclamando que ninguém se interessava por mim quando um cara (que vamos chamar de Carls) me mandou mensagem no Instagram puxando assunto, dizendo que me conhecia do CrossFit e tals. Eu já tinha visto o Carls algumas vezes mas nunca dei bola porque né!
Nós começamos a trocar ideia e ele perguntou se eu me interessava por caras mais velhos (ele me contou que tinha 24 e que estava de olho em mim fazia um tempo), eu dei uma enrolada nele e acabei com o papo ali.
Eu e minha mãe somos melhores amigas, assim conto tudo pra ela. Falei pra ela desse cara do CrossFit e que ele queria me conhecer melhor, ela disse que não tinha nada a ver ele ser mais velho já que o que importa é a mentalidade/maturidade (meu pai é 8 anos mais velho que minha mãe, eles são separados e moro com minha mãe, meu padrasto que considero mais pai que o meu próprio pai, e minhas duas irmãs).
Então começamos a conversar frequentemente e fomos nos aproximando mais. Carls me contou que estava procurando emprego e como conto tudo para minha mãe, ela já estava considerando contratar ele para trabalhar com ela no escritório (ela precisava para poder dar conta dos dois empregos). Então assim foi...
Detalhe: minha mãe trabalha de home office.
Carls me agradeceu muito e continuamos normal, só que agora iríamos nos ver todo dia.
Eu sou uma pessoa um pouco tímida, então sempre fugia dele quando ele tentava me abraçar e tals, ele sempre vinha atrás de mim. Ele nunca me falou muito da vida dele, mas eu pensei que por ele ter sofrido muito na vida (pelo o que ele me contou) relevei...
Assim acabamos ficando escondido, só com minha mãe sabendo (pra ser sincera não gostei muito, porque na hora no beijo ele bateu minha cabeça na parede).
Carls sempre me perguntava se eu queria namorar com ele e eu dizia que não, pois logo eu iria fazer intercâmbio e não sabíamos se ia dar certo um relacionamento à distância.
Ele era bem fofo comigo até! Como tinha carro, minha mãe pedia pra ele me levar pra cima e pra baixo, ele até me buscava na escola. Já me deu uma rosa branca e tudo mais.
Meu padrasto e minhas irmãs gostavam muito do Carls e alguns familiares já conheciam ele.
Quando começou a quarentena ele veio “morar” na minha casa, já que como minha mãe precisava muito dele para o trabalho ele poderia trazer o vírus pra nós se ficasse indo e voltando toda hora.
Assim ficamos BEM mais próximos... estávamos praticamente namorando! Eu e Carls sempre nos pegávamos escondido e víamos filme à noite (Nunca passou disso).
Mas aí que começa a desilusão...
Ele passou mais ou menos 1 mês aqui e sempre vi que ele usava a conta da Netflix de um amigo. Eu ria das séries que tinha nos assistidos porque eram bem de romance de menininha adolescente e outras que não condiziam com o tal do amigo.
Só que chegou um momento que minha mãe estava me contando que ouviu ele comentar da ex dele para ela. Ele terminou com a ex só porque tinha que se mudar pra cá (ele era do Rio). E mais outras coisas que ela me contou que demonstravam que ele estava mal resolvido com a ex... Uma hora ela soltou um nome muito familiar para mim e percebi que era o mesmo nome do “amigo” da Netflix.
Resumindo:
CARLS USAVA A CONTA DA NETFLIX DA EX PARA NÓS DOIS ASSISTIRMOS
Fiquei puta quando me dei conta e comecei a ser grossa com ele e cortar as asinhas quando ele vinha para perto de mim. Porque fala sério né!?
Tem gente que não gosta, mas eu preferia que ele tivesse me contado a situação com a ex antes...
Comecei a estudar para o vestibular de inverno, então passava o dia todo trancada no quarto e não falava mais com ele. A situação começou a ficar chata e ele perguntou o que estava errado, falei tudo e disse que podia ser nova mas não era nenhum tipo de idiota ou trouxa para ele agir daquela maneira. Ele pediu desculpas e falei que estava de boa, mas para mim, qualquer tipo de “relação” que tínhamos morreu. Assim ele inventou uma desculpa e voltou pra casa dele.
Mal estávamos nos falando, mas eu agia normal e íamos juntos pro treino...
Passou um tempo e minha mãe (minha fiel cúmplice) me contou que ele tinha pedido para falar com meu padrasto.
Nessa altura minha mãe tinha contado para o meu padrasto apenas que ele estava gostando de mim, mas nada além.
Carls queria conversar com meu padrasto porque precisava de conselhos. No final das contas, achávamos que ele conversaria sobre mim só que na verdade ele falou que estava saindo com uma garota chamada Farls (que eu conhecia do CrossFit também) e que gostava muito dela, ele também queria namorar ela...??????
Ele até levou ela para a nossa igreja, tipo mostrando pra todos que eles tinham algo (depois que nos conhecemos ele começou a ir na mesma igreja que nós)
Ela tem a mesma idade que ele e a mãe da minha amiga faz a sobrancelha dela, e quando a mãe dela perguntou se eles tinham algo (elas viram eles na igreja), ela disse que ele era o namorado dela e que ele era maravilhoso com ela. (Att: Descobri mais tarde que minha amiga mentiu porque é invejosa e queria me ver com raiva dele, não teve nenhuma conversa desse tipo).
Carls nunca me falou nada sobre e foi muito do nada, nós tínhamos uma amizade sabe?
Apesar de eu não gostar mais dele, me incomodo com a situação porque provavelmente ele já falava com ela enquanto estava comigo e tenho que conviver com ela a partir de agora. (Att: tive que ir em uma noite de filmes e os dois ficaram abraçados o tempo todo, SUPER DESCONFORTÁVEL. Além disso, ele me deu uma rosa e levou pra ela um buquê de rosas de dia dos namorados).
Meu padrasto perguntou se eles estavam namorando e ele negou até a morte. (???)
Fiquei chocada porque ele falava que queria casar comigo e que gostava muito mesmo de mim.
Mas pra ser sincera nunca gostei dele de verdade, por isso não fiquei tão chateada.
Além do mais, não ia ficar sendo feita de trouxa...
Fui usada, ele se saiu bem porque ganhou um emprego promissor, um passatempo e uma nova namorada.
Sei que me livrei de incomodação e fico feliz que não tenha dado em nada mesmo!
Você acha que fui babaca por ficar brava por causa de uma conta da Netflix?
O que faria/como agiria se fosse eu?
Quem é o babaca da história?
BAH amo vocês 💙🧡
submitted by saraharend to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 21:45 _BlueSapphire 2 Livros de Joanne Harris

Danças & Contradanças
As sarcásticas histórias de Danças & Contradanças podem ser resumidas em duas palavras: malévolas e maliciosas. Como em muitos dos seus romances, Joanne Harris consegue combinar de uma forma única situações e personagens comuns - e até banais - com o extraordinário e o inesperado. Mais do que nunca, a autora dá largas à sua imaginação e apresenta-nos uma exuberante e prodigiosa caixa de Pandora que contém tudo quanto é extravagante, estranho misterioso e perverso. De bruxas suburbanas a velhinhas provocadoras, monstros envelhecidos, vencedores da lotaria suicidas, lobisomens, mulheres-golfinho e fabricantes de adereços eróticos, estas são vinte e duas histórias onde o fantástico anda de mãos dadas com o mundano, o amargo com o doce, e onde o belo, o grotesco, o sedutor e o perturbador estão sempre a um passo de distância. Escolham o vosso par, por favor. Danças & Contradanças é o primeiro livro de contos de Joanne Harris, que, com a mestria a que já nos habituou, consegue deliciar, surpreender, entreter e horrorizar em igual medida. Suficientemente longas para aguçar o apetite, e breves a ponto de serem lidas num piscar de olhos, estas são histórias maliciosas, divertidas, por vezes provocadoras, mas sempre pessoais e capazes de revelar uma faceta de Joanne Harris até agora desconhecida dos seus leitores.
Vinho Mágico
Em Vinho Mágico a história é-nos contada por uma garrafa de Fleurie 1962, um vinho vivo e tagarela, alegre e um pouco impertinente, com um acentuado sabor a amoras.
Jay Mackintosh, em tempos um escritor de sucesso, encontra-se em crise, leva uma vida sem sentido e entrega-se à bebida. Até ao dia em que abandona Londres e se instala em França, na aldeia de Lansquenet (a mesma aldeia que serviu de cenário a Chocolate, o primeiro romance de Joanne Harris). A partir daí a sua vida vai modificar-se, nomeadamente por acção da solitária Marise (que esconde um terrível segredo por detrás das persianas fechadas) e das recordações de Joe, um velho muito especial que conheceu na infância e que lhe ofereceu precisamente essa garrafa de propriedades invulgares e misteriosas...
Ebooks: https://mega.nz/foldeuKQxlIyJ#paC4RHwpyEy0rLCTsqWREg
submitted by _BlueSapphire to Biblioteca [link] [comments]


2020.06.06 16:08 GazellaLachifre O beijo perfeito

Olá, sou uma menina pan, que ainda tem muito para viver. Podem me chamar de Gazella, e alerto, essa história é graaande e fofa, depois tem continuação com tragédias. Porém, gostaria de compartilhar esse momento da minha vida.
Bem, em 2019, eu tinha acabado de superar do meu primeiro relacionamento de verdade, esse também, uma bosta daquelas. Mas felizmente, estava saindo de uma escola que eu eternamente vou odiar, ou talvez não. O motivo de eu odia-la, é outra história para contar. Quando eu saí dessa escola, eu estava louca para namorar uma menina, desesperada por um romance, eu tinha 14 anos e talvez, ainda nem tenha idade para viver um romance de verdade. Eu tinha um grande crush numa menina da minha antiga escola, que continuava a ser minha amiga e ir me visitar no colégio em que estava no momento. Eu deixava muito claro que era afim dela, mas, ela não estava preparada para sair do armário e também eu não posso e nem devo puxar ela para fora dele. No final, ela acabou me decepcionando com as indecisões dela sobre mim e eu acabei seguindo a vida sem a guria. E onde eu quero chegar com isso? Então, isso foi o que me deixou louca para conseguir algum crush em alguém, pois eu não tinha feito amizades na escola, portanto, sem motivos para querer ir e me empenhar nos estudos. Mas sabe o que poderia me deixar animada para ir na escola todos os dias? Um crush, daqueles que você sabe que provavelmente nunca vai ter, mas era suficiente para mim. Daí apareceu minha amiga, Lex, que na época, do nada me deu um Doki Doki e por algum motivo, veio do olhar que ela me direcionou (quase nem direcionou), tinha sido muito UOu. E eu entrei numa missão em saber se eu tinha chances com aquelas menina, no final, não perguntei nada pq tinha muita vergonha na cara para chegar do nada e falar "coé, gostaria de dar uns pegas?" E aí, que uma colega de sala, antigamente ficante de festa, me disse que ela tinha uma prima sapatão, ou seja, pelo menos assumida para si mesma. Me bateu um fogo no cu, que rapidamente eu pedi para informações sobre ela e se eu tinha chances. E vocês já sabem como termina, né? Contatinho trocados. Conversa vem e conversa vai, eu e essa prima da coleguinha, combinamos de sair o que era para ser um encontro nosso. Curiosidade, seria a primeira vez que sairia sozinha com alguém sem meus pais conhecessem esse alguém. Por mais que tivessem duas velas no encontro, o irmão dela, que a levou e o amigo dela que teve que ir ou a mãe dela não deixava ir "sozinha", ele não pode ser mais perfeito para o primeiro de todos. Sim, foi meu primeiro pq o antes dela nem fez um esforçinho. No final, não teve beijos, ou coisa assim, foi fofo e eu me diverti muito com ela. Sonsa do jeito que era, eu pensei que a Lulu era a destinada. Sinceramente, é um pensamento fofo que eu tenho da minha parte mas bem problemático. Passou-se um tempo e do nada estávamos namorando, aliás, nem data teve para o começo do namoro porquê não teve pedido??? A gente somente começou a chamar-se de namoradas. Mas, a gente ainda não tinha dado um selinho, e bem, adolescente, fogo no cu, destinadas, já sabe né. Um fato relevante, meus pais ainda não sabiam sobre minha sexualidade. Com o pensamento de pegação em mente, eu chamei ela para vir aqui em casa, quando não tivesse ninguém, o que ano passado era bem comum já que meus pais trabalhavam e meus avós cuidavam de meus irmãos mais novos. E deu certo, mesmo nervosa, ela veio. No começo foi conversar para lá e cá, até eu ter uma atitude e dar o primeiro passo. Eu nunca na minha vida, até aquele dia, eu sabia que conseguia dar o primeiro passo, que no caso, se eu não o fizesse, ficaria sem a porra de um beijo, e eu queria muito saber se o beijo era tão bom quanto nossa comunicação. E rolou gente, E COMO ROLOU, foi a primeira vez em que me senti em uma fanfic, eu juro pela minha vida que eu senti minha barriga cheia de borboletas e eu estava muito nervosa. Foi tão fanfiqueiro o beijo que tinha até suspiros no meio, sabe, quando você admite que está gostando ao se derreter num suspiro? Eu nunca fiquei tão feliz por causa de um beijo. No entanto, quando a gente se separou, o nervosismo bateu, eu levantei e saí andando para cozinha. E eu voltei, ela tava sentada no sofá como estava antes, daí eu saí e voltei, até parar no lugar e olhar para ela. Lulu tava com um olhar tranquilo e super na boa, enquanto eu estava tremendo, e mais tarde ela ainda teve a cara de pau em falar que estava super nervosa igual a mim. Ok, né, eu acho que ela percebeu e me chamou para voltar pro sofá, pedindo por mais um beijo, e mano, se eu não estivesse vermelha, naquele momento estava ardendo que nem pimenta. Rolou mais um beijo, um pouco mais quente que o anterior, mas foi aí que eu fiquei mais nervosa ainda pq eu nunca tinha me sentido assim a alguém, então, quando nos separamos de novo, eu fiquei vários e vários minutos abraçada a Lulu, acalmando os ânimos, tentando apagar o fogo que só aumentava. No final, ela teve que ir embora, pois estava ficando tarde e ela tinha que voltar para casa logo, eu fiquei por muito tempo pensando no beijo e acabou sendo o único de nosso relacionamento. O próximo post, conto sobre o porquê que foi o único.
submitted by GazellaLachifre to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 05:57 jackieailluminati123 Oi lubixco turma e pessoas esse é o meu turbulento ano de 2019 se quiserem conto as tretas q tive com a ana julia q ela chegou a tacar limões em mim

ENTÃO VOU CONTAR TUDO O QUE ROLOU ANO PASSADO CASO VC NÃO SAIBA MEU NOME É JACKIE PESSOAS ENVOLVIDAS: FELIPE DIAS RETARDADO QUE CONVERSAVA CMG E COM A MARIAM ANA JULIA FILHA DA MLR AMIGA DA MINHA MÃE MARIAM DONA DO @strangerbrazillians__ Luiza a vaca mlr amiga da isadora que tem um canal no youtube Isadora uma guria bem legal pena que era amiga da luiza Valentina filha de um pai rico e que se acha pra crl Isabele kpopper timida Laura nossa anãzinha João gabriel mlr amigo da mariam Lucas meu best friend Márcio guri que era louco pela luiza só não demonstrava pq era bem amg dela Gabriel ceccon mlk idiota fdp que se acha pra crl e que é um machista da pohra MARIA ANTÔNIA UMA GURIA FDP QUE É MARIA COCA E QUE É LOKA POR SEICHO KKKJK E QUE É VINGATIVA E PSCOPATA E SE ACHA PRA CCT .ENTÃO LETS GO: COMEÇOU O ANO E EU E A ANA JULIA FIZEMOS AMIZADE COM A MARIAM DEPOIS DE UM TEMPO EU ME AFASTEI E COMEÇEI A FAZER AMIZADE COM A LUIZA E ISADORA ATÉ AÍ TD BEM MAS UM DIA NO RECREIO EU FOI CONVERSAR COM A MARIAM PQ ELA TAVA TRISTE E NÃO LANCHEI COM ELA DAI NESSE MESMO DIA A GNT TEVE QUE FAZER QUARTETOS E FEZ EU ANA JULIA LUÍSA E ISADORA E ELAS COMEÇAM A DISCUTIR COMO SE FOSSE EU E A ISADORA CONTRA A ANA JULIA E A LUÍSA SÓ QUE TEVE UMA HORA (UMA TRETA QUE ACONTECE ATÉ HJ OUTRO DIA TE CONTO ) QUE A LUÍSA USOU DE (OFENÇA) FALANDO QUE O PÉ DA ISADORA E ERA GRANDE E EU PRA REBETER FALEI QUE SE ELA TAVA FALANDO DO PÉ DA ISADORA ERA PRA ELA IR OLHAR O DA ANA JULIA E DEPOIS CONTINUO COM A TRETA DA ANA JULIA MAIS VOLTANDO. ELAS IAM PRO CANTO CONVERSAR E A TOLA AQUI NÃO IA ACHANDO QUE ELAS TAVAM SE CHINGANDO MAIS NA VDD ERA TUDO ARMAÇÃO PRA EU XINGAR ELAS DE ALGUMA MERDA COMO EU TENHO COSTUME DE XINGAR TD MUNDO EX MINHA MELHOR AMIGA EU CHAMO DE ANTA E OTARIA ENTÃO ISSO É NORMAL PRA MIM SÓ QUE EU ACABEI NÃO XINGANDO ELAS E ELAS FICARAM ME AMEAÇANDO FALAR PRO DIRETOR (GILMAR) QUE EU TINHA CHAMADO ELAS DE VAGABUNDA E PUTA DO CRL MAS EU NÃO TINHA DITO NADA DISSO DAI PAREI DE FALAR COM ELAs UM TEMPO DEPOIS (MAIO ) O JOÃO GABRIEL TAVA GOSTANDO DE UMA GAROTA E A MARIAM TAVA COM CIUMES PQ ELE NÃO RESPONDIA MAIS ELA RESUMIMDO A GAROTA ERA A LAURA E NO SEMESTRE SEGUINTE A LAURA FOI PRA NOSSA TURMA (ELA E O JOÃO ESTAVAM NA TURMA DE TARDE E A GNT NA MANHA) DAI A MARIAM VIROU SUPER AMIGA DELA E TALS MAS AGR PRECISAMOS FALAR DA VALENTINA QUE ERA BEM MINHA AMG E DA MARIAM MAS QUE A GNT CANSOU DELA PQ ELA FICAVA FALANDO O TEMPO TODO QUE O PAI DELA ERA RICO E QUE O PAI DELA CONVIDOU ELA VARIAS VEZES PRA IR PRA DISNEY E ELA NÃO ACEITOU E QUE QUANDO ELA QUISER É SÓ LIGAR PRO PAI DELA QUE NO DIA SEGUINTE ELES JÁ VÃO PRA LÁ(ELA FALAVA ISSO TODO DIA ) ATÉ Q UM DIA EU ME CANSEI E FALEI PRA ELA QUE EU SEI QUE ELA SÓ NÃO FOI PQ A MÃE. DELA NÃO DEIXA E QUE NÃO É FACIL ASSIM LARGAR O TRABALHO E IR PRA DISNEY E QUE EU SABIA QUE ELA MORRIA DE INVEJA DA IRMÃ MAIS NOVA PQ NAO TINHA OS PAIS SEPARADOS E TEM TD O QUE. QUER AO CONTRARIO DA VALENTINA Então ela parou de andar com a gnt e passou a andar com a maria Antônia que acabou quase quebrando o iphone da laura 2 vezes até então elas eram mlrs amigas só que agr entra o dias Felipe dias sentava atras da mariam e eu na frente dela então a gnt vivia conversando e eu descobri que ele tava namorando a ana julia e eu bem fofoqueira contei pra mãe dela que começou a revistar ela e descobriu que era vdd e proibiu pq as notas dela era tipo 4,1. 2,3 ,1,7. 0. 0 E dai ela foi pra de tarde e ele deu um pé na bunda dela E a Valentina e a maria Antônia gostavam dele e certo dia voltando do recreio a valentina tava conversando com ele e ela passou e tentou enforcar a valentina Com esse acomtecimento a valentina tbm foi pra de tarde LUCAS: ELE NAMORAVA A LUÍSA NO INICIO DO ANO ATÉ QUE DESCOBRIU QUE QUEM MANDAVA OS WHATSAPP DE ROMANCE NÃO ERA ELA E SIM A MÃE DELA Daí ele terminou com ela e ela corneou dois mlk idiota.Tinha um mlk tbm que gostava de mim e da isabele que tinha os olho vermelho então como a gnt não sabia o nome chamava de maconheiro
submitted by jackieailluminati123 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.05.20 02:20 wolfsuper O Enredo Conjugal - Jeffrey Eugenides

SINOPSE
Estarão as grandes histórias de amor do século XIX mortas? Ou existirá uma história nova, escrita para os nossos dias e atenta às realidades do feminismo, da liberdade sexual, das convenções antenupciais e do divórcio? Início da década de 1980. Nas universidades americanas, os jovens com preocupações intelectuais discutem literatura, devoram Derrida e Roland Barthes, e ouvem Talking Heads. Mas Madeleine Hanna, aluna aplicada de Estudos Ingleses e romântica incurável, prepara a sua tese sobre Jane Austen e George Eliot autoras a quem se deve o enredo conjugal que está no cerne dos melhores romances ingleses. Enquanto Madeleine estuda as motivações intemporais do coração humano, a vida real, sob a forma de dois rapazes muito diferentes o carismático e intenso Leonard Bankhead e um velho amigo com inclinações místicas, Mitchell Grammaticus , atravessa-se no seu caminho. Mas quando os três terminam os seus cursos universitários e se veem confrontados com a vida no mundo real, têm de imaginar um desfecho para o seu próprio enredo conjugal.
Jeffrey Eugenides nasceu em 1960, em Detroit, Michigan. Formado pela Universidade de Brown, obteve o mestrado em Inglês e Escrita Criativa na Universidade de Stanford, em 1986. Publicou o seu primeiro conto em 1988, e os seus textos de ficção foram publicados no The New Yorker, The Paris Review, The Yale Review, Best American Short Stories, The Gettysburg Review e Granta. Entre os vários prémios que obteve estão o Whiting Writers Award e o Harold D. Vursell Award da Academia Americana de Artes e Letras. As Virgens Suicidas, o seu primeiro romance, foi adaptado ao cinema por Sofia Coppola num filme com James Wood e Kathleen Turner. O seguinte, Middlesex, foi galardoado com o Prémio Pulitzer 2003. Aclamado em todo o mundo, recebeu ainda o Ambassador Book Award, e foi finalista do National Book Critics Circle Award, do IMPAC Dublin Literary Award, do Prix Médicis e do Lambda Literary Award.
Link: https://mega.nz/foldey080hIpJ#89UzbG4I5C9N1Q18sK5Z6g
submitted by wolfsuper to Biblioteca [link] [comments]


2020.05.06 18:32 yLithium ME RECOMENDEM SUS LIVROS FAVORITOS

(Descupe o erro no título)
Quero recomendações diversas, ficção, romance, história, contos, criminais, suspense... Tudo.
Estou com minha biblioteca em formação kk mas só tenho livros de estudos, somente economia, livros sobre 1 e 2 guerra, biografias e coisas do gênero.
Quero dar uma variada, tenho necessidade de diversificação (mesmo que leia relativamente poucas páginas por dia).
submitted by yLithium to Livros [link] [comments]


2020.05.04 12:54 seweli Dracula’s Guest, by Bram Stoker

Rudhar: "Mi traduction in interlingua de un conto scribite in 1897 per Bram Stoker. Serea un tal traduction anque possibile in elefen? Io crede que si, proque le vocabulario de elefen proveni anque del linguas romance, ergo deberea esser tanto ric e nuanciate como lo de interlingua."
https://rudhar.com/writings/BramStokeDraculasGuest/drcgstia.htm
submitted by seweli to interlingua [link] [comments]


2020.05.02 20:38 Alejandra27psico Mi historia de amor estilo rosa de guadalupe

Soy venezolana actualmente tengo 24 años y estoy casada con un Chileno, pero esta historia empezo cuando tenia 13 años, en la epoca de ares y messenger. conoci a mi esposo en el chat de ares el tenia en ese entonces 21 años y como mencione antes yo tenia 13 años, no se alarmen no eramos mas que amigos junto con otras personas de distintas partes del globo, la cosa es que esta amistad fue creciendo y nos agregamos a msn (cuando aun existia) al principio no nos tomamos mucho en cuenta pero despues fue creciendo ese interes de pasar mas tiempo conectados al punto en el que nos poniamos invisibles en el msn para que nadie mas nos molestara cuando hablabamos, a mi ya me empezo a gustar llegamos hacer llamadas, y a mandarnos fotos (normales no mal piensen eramos amigos aun) pero llego una chica que se volcio su novia y aunque yo no me quise interponer porque ante todo lo queria ver feliz fuera conmigo o no, ella sintio que yo era un peligro para su relacion apesar de que estabamos muy lejos, la cosa es que en mutuo acuerdo entre el y yo decidimos eliminarnos de todas las redes para no traerle poblemas con su novia, pactamos esa eliminacion para un domingo a las 12 de la noche, ese domingo pasamos todo el dia juntos conversando y tratando de no comentar lo que se venia luego cuando fue el momento de eliminarnos, ninguno podia dar ese paso, francamento no recuerdo quien fue el que apreto primero el boton para eliminar, lo que si recuerdo perfectamente fue cuando comense a llorar a penas deje de ver su nombre en mi msn, fue cuando me di cuenta que me habia enamorado. pasaron unos años yo segui con mi vida tuve novios despues de eso, cuando converdaba por face con un amigo del ares de hace mucho yo tenia en ese entonces ya 16 años, la cosa es que esta persona era amigo en comun con mi esposo y un dia me hablo de el y fue cuando todos esos sentimientos volvieron tan solo leer su nombre, le dije a nuestro amigo en comun si podia ha larle de mi y que yo queria conversar con el, con nervios rogaba que el quisiera volver a tener contacto conmigo ( porque gracias a este amigo me entere que el estaba soltero nuevamente) la cosa es que mi amigo me informo que si, que el queria volver a cinversar conmigo y nos metio aun chat grupal para que el y yo nos agregaramos, fue algo incomodo al principio pero volvimos a retomar la confianza que tuvimos antes y ya me conto todo lo que paso en su vida todo este tiempo y de igual forma le conte la mia, empezamos nuevamente a pasar mucho tie.po en linea para conversar y contarnos todo, volviendo a ponernos invisibles en los chat para los demas, esto pudo volverse rapidamente una historia de romance pero ahora habia otro problema que impedia que esto pasara, yo estaba saliendo con alguien en ese momento y el respetaba mi relacion pero yo en cambio la empece a descuidar por estar con el, llegando al punto en el que hasta olvide el cumpleaños de mi novio en ese entonces y nisiquiera lo felicite en todo el dia, hasta que el se canso de esperar y me reclamo al dia siguiente, lo se puede sonar feo pero yo ya no sentia nada por el asi que decidi romper, fue dificil porque no lo aceptaba y me trajo muchos problemas, incluso llego a amenazarme con hacerle escandalo a mis padres, pero termine ese infierno con mi graduacion, volvie do a la historia principal, luego de 1 mes que acabara mi relacion con mi ex, mi esposo empeso a dar inicio de querer algo serio conmigo, no iniciamos la relacion hasta varios meses despues por un pequeño triangulo que surgio, por dudas de el ya que con todo lo que habia pasado y con el echo que nada mas terminal mi antigua relacion yo mostraba tanto interes en el, lo hizo dudar de que tan seria seria yo en eso, pero al final me confeso su amor y que no sabia en que momento surgio pero que ya se habia dado por vencido al tratar de negarlo, pero el amor a distancia no es nada facil, aunque hicieramos video llamadas y conversaramos dia y noche desde cualquier parte, trabajo, universidad, al salir con amigos, etc. asi que el me prometio reunir dinero para venir a venezuela a conocerme en persona y a mis padres para mostraerles que iba enserio, pasaron casi 2 años desde esa promesa, yo ya tenia 19. vino conocio a mi familia se quedo 3 meses, trajo suficiente dinero para salir a muchos lugares juntos, y aunque al principio mis padres y mis hermanos no estaban muy contentos el termino ganandose su confianza, por cierto, dormiamos en cuartos separados pero me escabullia en las madrugadas a su cuarto y me iba antes que mi padre despertara para dormir con el un par de horas, el fue mu respetuoso y no me obligo nunca a nada, incluso me dijo que no teniamos que tener intimidad antes que el se fuera, que me amaba y no queria que pensara que solo vino por eso y jamas volveria. y aunque tuve muchas contradicciones una semana antes que se fuera yo di el paso y tuvimos relaciones, todo mara illoso el volvio a chile, fue una despedida dolorosa en el aeropuerto, inclusive mi padre lloro al vernos despedirnos en lagrimas. al final 2 años mas pasaron despues de eso, ya tenua 21 y era mi turno de ir a visitarlo, como yo estudiaba el pago mi pasaje y gastos del viaje y vine a verlo a chile, el plan era quedarme 1 mes pues debia regresar a la universidad, pero el destino no quizo, el dia de mi partida cancelaron los vuelos por los problemas de mi pais asi que tuve que quedarme, pero juntos tomamos la desicion de queme quedara aqui co el y culminara aqui los estudios y aunque mis padres se negaron al principio, el panorama en mi pais no era ni aun es el mejor asi que aceptaron. como el ya le ha ia pedido mi mano uando fue a mis padres, el quedarme nos dio la excusa perfecta para unirnos en matrimo io, nos casamos por civil en una seremonia sencilla, asistieron jnos familiares que mi esposo anterior mente ayudo a instalarse en chile. y ahora estamos feliz mente casados y continua do esta aventura juntos, aun no tenemos hijos pero si una hermosa perrita que es como nuestra bebe.
bueno esa fue mi historia espero que llegaran al final de la lectura y si tienen preguntas con gusto las respondere, saludos.
submitted by Alejandra27psico to AskRedditespanol [link] [comments]


2020.04.17 19:05 wolfsuper O Despertar do Mundo - Rhidian Brook

SINOPSE
Em 1945, enquanto o mundo celebra a vitória sobre o exército nazi, a Alemanha derrotada é dividida. De um lado, a União Soviética. Do outro, os Estados Unidos, a Grã-Bretanha e a França. A Guerra Fria está prestes a começar. Em Hamburgo, grupos de crianças esfomeadas vasculham os destroços em busca de alimentos, famílias desalojadas lutam por abrigos imundos. É nesta cidade arruinada que o coronel Lewis Morgan é encarregado de repor a paz. O governo inglês requisita uma casa para o acolher a ele e à família. Aos proprietários da mansão resta a indigência. É então que o coronel propõe uma solução inédita: a partilha do espaço. Mas ao contrário do que coronel espera, este pacto vai ser explosivo. A sua mulher, Rachel, vive fechada em si própria. O filho de ambos, Edmund, debate-se com uma solidão extrema. A alemã Freda é a adolescente rebelde, filha de Herr Lubert, um homem de elite inconformado com a submissão que lhe é imposta. Entre segredos e traições, a vida na casa é uma bomba-relógio que uma paixão proibida ameaça ativar.. Baseado no extraordinário ato de bondade do avô do autor, O Despertar do Mundo pinta um retrato único da guerra vista do lado dos perdedores.
Rhidian Brook escreve para além de ficção, também para o cinema e para a televisão. O seu primeiro romance, The Testimony of Taliesin Jones venceu, entre outros prémios, o Somerset Maugham Award. Os seus contos figuram nas mais variadas publicações, tais como a New Statesman e a Time Out, sendo também transmitidos na rádio.
Link: https://mega.nz/foldeH0tjHaBR#GHn5HusQ5D309U4Ut-40dA
submitted by wolfsuper to Biblioteca [link] [comments]


2020.04.07 02:27 wolfsuper Domingos de Agosto - Patrick Modiano

SINOPSE
Em Domingos de Agosto entramos num encantador labirinto de mistérios. Por que motivo o narrador fugiu das margens do Marne com Sylvia para se esconderem num obscuro quarto em Nice? Qual a origem do diamante Cruz do Sul, que Sylvia arrasta consigo como uma promessa e uma maldição? De que morreu o popular ator Aimos? Quem é Villecourt? Quem são os Neal, esse estranho casal cujo carro ostenta uma matrícula diplomática? E porque estão tão interessados em Sylvia, no narrador e no Cruzeiro do Sul?Ao longo das páginas deste misterioso e envolvente romance, onde se cruzam todos estes enigmas, nasce uma história de amor que exala um fascínio que irá domina o leitor por muito tempo.
Patrick Modiano é um dos maiores escritores franceses contemporâneos. Desde o seu primeiro romance, La Place de l'Étoile (1968), que a sua escrita é marcada por uma busca da identidade através de um passado doloroso ou enigmático. Autor de mais de vinte romances e livros de contos, destaca-se também como co-argumentista para cinema. Em 1978, foi-lhe atribuído o prestigiado Prémio Goncourt pelo romance Na Rua das Lojas Escuras. Recebeu ainda o Grand Prix National des Lettres (1996), o Grand Prix de Littérature Paul-Morand (2000) e, pelo conjunto da sua obra, o Prémio Mundial Cino Del Duca (2010). Em 2014, foi distinguido com o Prémio Nobel de Literatura, tornando-se o 15.° autor francês a receber este prémio. Segundo a Academia Sueca, a sua «arte da memória evoca os mais inefáveis destinos humanos e revela o mundo da Ocupação».
Link: https://mega.nz/foldeDwtjwJyC#FwXp23kk9BPcUZhliDp3fA
submitted by wolfsuper to Biblioteca [link] [comments]


2020.04.07 02:24 wolfsuper Um Circo que Passa - Patrick Modiano

SINOPSE
Um Circo Que Passa revela bem o estilo de Patrick Modiano, fortemente marcado pela guerra, pelos anos 40 e pela sua própria infância. A polícia, os bares duvidosos e as ruas de uma cidade simultaneamente amiga e inimiga é nesta Paris dos anos 60 que acompanhamos a fuga e as deambulações de um casal à procura do amor. Uma história que tem como narrador Jean, e em que toda a ação gira em torno do seu relacionamento, aos dezassete anos, com a misteriosa Gisèle. Ambos têm muito a esconder um do outro. Partilham, porém, os mesmos sonhos.
Patrick Modiano é um dos maiores escritores franceses contemporâneos. Desde o seu primeiro romance, La Place de l'Étoile (1968), que a sua escrita é marcada por uma busca da identidade através de um passado doloroso ou enigmático. Autor de mais de vinte romances e livros de contos, destaca-se também como co-argumentista para cinema. Em 1978, foi-lhe atribuído o prestigiado Prémio Goncourt pelo romance Na Rua das Lojas Escuras. Recebeu ainda o Grand Prix National des Lettres (1996), o Grand Prix de Littérature Paul-Morand (2000) e, pelo conjunto da sua obra, o Prémio Mundial Cino Del Duca (2010).Em 2014, foi distinguido com o Prémio Nobel de Literatura, tornando-se o 15.° autor francês a receber este prémio. Segundo a Academia Sueca, a sua «arte da memória evoca os mais inefáveis destinos humanos e revela o mundo da Ocupação».
Link: https://mega.nz/foldeKo8WkAYD#r1V5mRIGqBoNHYQgZ-FfCQ
submitted by wolfsuper to Biblioteca [link] [comments]


2020.03.28 05:05 miguel_aml Afirma Pereira - Antonio Tabucchi

Tendo por pano de fundo o salazarismo português, o fascismo italiano e a guerra civil espanhola, Afirma Pereira é a história atormentada da tomada de consciência de um velho jornalista solitário e infeliz.
Antonio Tabucchi nasceu em Pisa(1943-2012), onde fez os seus estudos, primeiro na Faculdade de Letras e depois na Scuola Normale Superiore. Ensinou nas Universidades de Bolonha, Roma, Génova e Siena. Foi Visiting Professor no Bard College de Nova Iorque, na École de Hautes Études de Paris e no Collège de France. Publicou 27 livros, entre romances, contos, ensaios e textos teatrais. As suas obras estão traduzidas em mais de 40 países. Recebeu numerosos prémios nacionais e internacionais. Sozinho, ou com Maria José de Lancastre, traduziu para italiano a obra de Fernando Pessoa. Considerando que a sua pátria é também a língua portuguesa, escreveu um romance em português, Requiem, 1991. O seu teatro foi levado ao palco, entre outros, por Giorgio Strehler e Didier Bezace. O Fio do Horizonte, Nocturno Indiano, Afirma Pereira e Requiem foram adaptados ao cinema respectivamente por Fernando Lopes, Alain Corneau, Roberto Faenza e Alain Tanner.

https://mega.nz/#!2qI3TSRR!eqy-fy3i0B4WIDEIal81jw1hAxw3T7pFcofSckhumI0
submitted by miguel_aml to Biblioteca [link] [comments]


2020.03.22 21:09 Cofto21 Recomendação de livros de filósfos existencialistas (com PDF.)

Nesses tempos de quarentena, é bom exercitar a mente. Aqui estão 4 excelentes livros dos dois mais famosos filósofos existencialistas. Nenhum livro acadêmico, todos são romances ou contos.
•O estrangeiro por Albert Camus- Este livro narra a história de um homem comum que se depara com o absurdo da condição humana depois que comete um crime quase inconscientemente. Meursault, que vivia sua liberdade de ir e vir sem ter consciência dela, subitamente perde-a envolvido pelas circunstâncias e acaba descobrindo uma liberdade maior e mais assustadora na própria capacidade de se autodeterminar. PDF EPUB
•"A Peste" por Albert Camus- Romance que destaca a mudança na vida da cidade de Orã depois que ela é atingida por uma terrível peste, transmitida por ratos, que dizima sua população. Narrado do ponto de vista de um médico envolvido nos esforços para conter a doença, o texto de Albert Camus ressalta a solidariedade, a solidão, a morte e outros temas que auxiliam na compreensão dos dilemas do homem moderno. PDF EPUB
•"O Muro" por Jean Paul Sartre- Escrita em 1939, as cinco narrativas de O muro refletem a perplexidade do homem frente a um mundo em convulsão. Nesse momento, quando as circunstâncias parecem carregar todos ao mais fundo individualismo, Sartre levanta questões que apelam à consciência política e filosófica. O apelo é feito a causas atuais, como valores burgueses, preconceitos sexuais e raciais - panos de fundo deste livro escrito por um jovem Sartre e indicado para todos os humanos inconformados com o modo a realidade do mundo é imposta. PDF
•"A Náusea" por Jean Paul Sartre- Escrito sob a forma de diário íntimo, o autor constrói seu romance filosófico a partir dos sentimentos e da observação de ações banais de Antoine Roquentin, o protagonista, que, ao perambular por uma cidade desconhecida, é confrontado com o absurdo da condição humana. PDF EPUB
submitted by Cofto21 to brasil [link] [comments]


CONTOS ERÓTICOS - CHUPEI GOSTOSO A PICA DO MEU PADRASTO ... TOP 7: Animes de ROMANCE CORTOS de MENOS de 15 Episodios NOSSO PRIMEIRO MÉNAGE À TROIS🔞😱 - YouTube Contos de amor e ódio - A morte bate à porta - 2x3 - Investigacao ID Romance d'Amour (anonymous) - Classical Guitar - YouTube Contos de amor e ódio - O envenenador - 3x1 Contos de Amor - YouTube DIFERENÇAS ENTRE CONTO, CRÔNICA E ROMANCE - YouTube O Rapto das Ninfas - Contos Mágicos. - YouTube

Romance Contos & Textos

  1. CONTOS ERÓTICOS - CHUPEI GOSTOSO A PICA DO MEU PADRASTO ...
  2. TOP 7: Animes de ROMANCE CORTOS de MENOS de 15 Episodios
  3. NOSSO PRIMEIRO MÉNAGE À TROIS🔞😱 - YouTube
  4. Contos de amor e ódio - A morte bate à porta - 2x3 - Investigacao ID
  5. Romance d'Amour (anonymous) - Classical Guitar - YouTube
  6. Contos de amor e ódio - O envenenador - 3x1
  7. Contos de Amor - YouTube
  8. DIFERENÇAS ENTRE CONTO, CRÔNICA E ROMANCE - YouTube
  9. O Rapto das Ninfas - Contos Mágicos. - YouTube
  10. 4 Contos românticos

CONTOS ERÓTICOS - CHUPEI GOSTOSO A PICA DO MEU PADRASTO 𝐒𝐈𝐓𝐄 𝐎𝐅𝐈𝐂𝐈𝐀𝐋👉 http://bit.ly/LIBIID-GEL-SITE-OFIICIAL Checkout 1 Pote:http ... Assista e acompanhe nosso relato sobre nosso primeiro ménage à trois, contamos exatamente como foi... Nos dê um LIKE, COMENTEM e COMPARTILHEM... 🤗😘 Nossas re... Contos de amor e ódio - O envenenador - 3x1 tbrsete. Loading... Unsubscribe from tbrsete? ... El robo del millón de dolares en bonos (Subtitulado Español) - Duration: 53:11. CONTO: a história de Marla & Daniel - Duration: 24:35. Daniel Lüdtke Recommended ... DIFERENÇAS ENTRE CONTO, CRÔNICA E ROMANCE - Duration: 4:21. Ficçomos Recommended for you. 4:21. ... Episódio dos Contos Mágicos/TV Cultura. Los 10 Mejores Animes de Romance Poco Conocidos [Loquendo] 2018√ - Duration: 14:14. El Spectro 38,162 views. 14:14 💜Los 10 MEJORES animes ROMANCE y COMEDIA💜 - Duration: 10:00. Contos de amor e ódio - A morte bate à porta - 2x3 - Investigacao ID tbrsete. ... O amor é um campo de batalha - Duration: 43:30. Universo do documentário 299,237 views. Crônica, conto, romance... Você sabe quais são as diferenças entre esses gêneros literários? Entenda a diferença entre conto, romance e crônica! • Obras menc... Contos de Amor - Oficial Neste canal você vai encontrar as mais belas e emocionantes histórias de amor entre casais. Histórias de casais, romances, amores im... This beautiful piece, known as Romance d'Amour, Anonymous Romance, Spanish Romance, Romance de Amor, Romanza among other names are a very well know piece. Th...